segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sua excelência a escola de samba


O nível de excelência de uma escola de samba é tão grande que a pontuação não se faz do zero até a nota máxima, parte-se da nota máxima em cada quesito, então, na análise do júri, a escola pode perder pontos por pequenos detalhes. Isto resulta num sentimento coletivo de pertencer a uma entidade maior, uma estrutura campeã, que abre suas portas para que cada um também seja grande – é o tal pertencimento.
São esses detalhes peculiares que fazem com que uma escola de samba obtenha êxito digno de dar inveja ao mundo corporativo. Todos os integrantes sabem exatamente quais são as metas e objetivo da agremiação; qual deve ser sua participação e como ela contribui para o resultado final; conhece a responsabilidade e sabe que a falta de comprometimento resulta no fracasso coletivo. Assim, todos cobram de todos e os resultados são acompanhados e mensurados pelos próprios integrantes, sem deixar de ter uma visão mais apurada dos líderes de cada ala (departamento).
Fortalecer o instinto motivacional dos membros de uma equipe faz parte da estratégia de conquistas e realizações. É preciso dar elementos factuais, revestido por análises pontuais, a fim de despertar o desejo individual e de grupo rumo à conquista proposta pelo planejamento. As pessoas devêm sentir-se como integrantes de algo maior; é o sentimento de pertencimento que faz com que uma empresa, time, associação ou qualquer outro tipo de representação tenha força e alcance seu objetivo.
Ter uma análise clara sob todos os aspectos que envolvem o nosso momento atual, além de ser esclarecedora para conhecermos os pontos fortes e fracos de nossa existência ou projeto, é também um momento de reflexão para identificarmos o potencial para alcançar o almejado objetivo. Ninguém vai chegar à lua tendo apenas um trampolim. A realidade determina o nosso ponto de partida, mas não diz aonde iremos chegar. É aí que entra a realidade desejada. É aí que o aspecto motivacional e de integração faz a diferença.


Do simples ao complexo: a vida de uma empresa

João um dia resolveu abrir um negócio; não seria mais funcionário e conduziria sua vida com sua própria cabeça. Comprou um carrinho, fe...