sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O respeito à cultura e o marketing


A cultura é o ponto chave para dar start a qualquer campanha de comunicação, marketing e gestão de negócios. Não é possível obter sucesso duradouro sem respeitar a filosofia e os valores intrínsecos à cultura da organização, seja ela uma instituição pública, privada ou mesmo um clube de futebol.
Os programas de comunicação, marketing e gestão devem se moldar à cultura de uma organização da mesma maneira que uma roupa cobre o corpo, respeitando sua estatura, modelagem, contornos e curvas, mas, especialmente, o modelo psicossocial que comanda o corpo em si.  Não dá para ter resultados duradouros com fórmulas bem sucedidas na Europa com a simples aplicação em mercados latinos, sem levar em conta a realidade local. É preciso saber fazer a leitura, identificar os diferenciais de tratamento, crenças, aspectos motivacionais e comportamentais, valores e atributos peculiares que fazem toda a diferença no momento de estabelecer uma comunicação.
A sistematização da comunicação é tão importante que até mesmo dentro de Grupos empresariais brasileiros é necessário a distinção entre fábricas do Sul/Sudeste e Norte/Nordeste, pois existem peculiaridades regionais que fazem toda a diferença na hora de estabelecer laços de comunicação entre os grupos. Por isso, as cátedras de filosofia, antropologia, psicologia, sociologia, entre outras, são fundamentais para dar corpo aos programas que são instituídos, garantindo o sucesso e a manutenção do mesmo ao longo dos anos.
Se você quiser brilhar com um programa de comunicação, marketing ou de gestão, saiba respeitar o local em que pisa; saiba fazer a leitura correta e direcionar suas ferramentas para tornar cada membro desses grupos um aliado e não um adversário em potencial. A comunicação é preciosa para agrupar pessoas, mas também é fatal para distanciá-las.

Por que devemos melhorar o marketing de serviços?

Todos nascem com algum tipo de habilidade que nos faz diferentes uns dos outros. Mesmo quando parecemos todos iguais, ainda assim somos d...