segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Isso é só o fim...

O mercado vive momentos de alta adrenalina. As causas e efeitos do conturbado cenário econômico americano e europeu têm tirado o sono do resto do mundo, mesmo quando tudo parece calmo. Conversei com um amigo do setor financeiro, nesta semana, e ele parecia um timoneiro em mar bravo, sem saber se olhava para a bússola ou para o horizonte.
Alguns profissionais do setor financeiro, mesmo conscientes dos problemas que o mundo vem enfrentando, acreditam que pelo menos no Brasil, o caso é mais de extrapolação das notícias, ou seja, a culpa é da mídia. “Malditos jornalistas que teimam em ficar noticiando o caos como se fossem cavaleiros do apocalipse”, diria um deles. Porém, esquecem que a mídia funciona como um espelho que revela todos os temores e dissabores do mercado ao menor sinal de alerta em qualquer parte do país. A bola de neve pode ter crescido além do esperado, porém, não foi a mídia que deu o pontapé inicial.
O conselho que dei a este amigo é que reinvente o cenário atual; use e abuse da criatividade para oferecer novos e velhos serviços; acalme os ânimos de seus clientes com informações pontuais, precisas e confiáveis; trabalhe a comunicação com o mercado de maneira positiva, buscando ressaltar os diferenciais competitivos que possa oferecer; enfim, dê os indicativos necessários para que os consumidores voltem a consumir normalmente, sem a preocupação de acordar com o mundo em frangalhos.
Uma comunicação bem feita pode reforçar práticas positivas, incentivar vendas, atrair novos e velhos consumidores, reposicionar produtos e serviços, criar novos nichos de mercado. Mas, acima de tudo, pode criar uma atmosfera positiva que fortaleça os mecanismos de satisfação de todos, e todos querem sempre a mesma coisa: a melhoria contínua em todos os aspectos... e não o fim.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Gestão de marcas

Durante o painel “A Marca na Agenda do CEO”, no MaxiMídia, foi apresentada pesquisa da Troiano Consultoria de Marca com 50 presidentes de empresas, na qual 85% deles concordam que a marca é o ativo intangível mais valioso da empresa. Dentro desse conceito é fácil perceber porque as grandes empresas estão cada vez mais investindo na manutenção de suas marcas. O caso da Alpargatas, por exemplo, tem investido 12% de seu faturamento bruto anual em Marketing.
Atrelado a competência de resultados alcançados através da gestão de marcas, as empresas têm constatado que em momentos propícios de mercado uma marca bem trabalhada tem maior facilidade de penetração de mercado, maior aceitação por parte do público e respeito pela comunidade. São aspectos que favorecem a venda e consolidação mercadológica. Já quando o mercado está em crise, os investimentos em gestão de marcas também se mostram oportunos, visto que uma reputação forte e admirada é altamente favorável ao enfrentamento das dificuldades do mercado como um todo.
Dentro do leque de ações que uma empresa tem de desenvolver para ampliar a percepção das pessoas sobre suas marcas, é importante destacar a questão da responsabilidade social e ambiental, fator que há sete anos não era percebido com tanto afinco. Hoje, o consumidor em geral tem esta como uma de suas preocupações na hora da decisão de compra. Portanto, as empresas devem estar antenadas e promover ações e programas que correspondam às expectativas do mercado.
A política de comunicação interna deve ser cada vez melhor trabalhada, pois é responsável por lidar com o primeiro público da empresa, e talvez, o mais importante. São os funcionários os grandes responsáveis pela multiplicação de informações, pela geração de produtos e serviços altamente qualificados para atender a demanda de mercado, são os porta-vozes em variadas situações do cotidiano empresarial. São responsáveis por dar a resposta mais adequada ao ensejo dos clientes e sociedade como um todo.
Quando as ações de comunicação extrapolam os muros da empresa, então é preciso estar conectado às últimas novidades, apresentar uma comunicação de ponta alinhavada com o público consumidor e também com a formatação que se quer dar à marca nos próximos anos. Campanhas institucionais, promoção de eventos, patrocínios, comunicação digital e todo tipo de comunicação geradora de expectativa é fator essencial para garantir o status quo da marca corporativa e intesificar a gama de negócios da empresa. Todo o investimento é baixo em função do que se pretende conquistar.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Novo pool de comunicação

A A! Comunicação e a KFL estão se associando para oferecer um novo pool de serviços aos clientes e buscar novas fatias de mercado. As empresas atuarão em conjunto oferecendo serviços de propaganda, comunicação empresarial, assessoria de imprensa, campanhas políticas, consultoria, planejamento estratégico da comunicação, marketing e comunicação digital.
Laércio Pimentel, César Dias e Gustavo Nitzsche (diretores) conduzirão a agência com aplicações voltadas para o mercado de seus clientes, ampliando a oferta de produtos de comunicação que facilitem o relacionamento com pessoas de vários segmentos. O objetivo é dinamizar a marca, produtos e serviços dos clientes com propostas ousadas e contundentes.

A!+KFL
Rua Conde de Porto Alegre, 2118 – Campo Belo – São Paulo – SP
11 5531-9661 / 11 5092-3687
contato@acomunicacao.com

sábado, 20 de setembro de 2008

Comunicação digital em pauta

O processo de comunicação entre as empresas e o mercado é um caldeirão em efervecência. Não podemos dormir e acordar pensando que estamos com a missão cumprida frente às necessidades diárias dos consumidores. É preciso sempre mais. É preciso estar antenado com as novas ferramentas que surgem e, principalmente, saber fazer uso dessas ferramentas.

Um exemplo palpável disso é o sistema de bluetooth, um dos mecanismos digitais que tem larga aplicação dentre os jovens e que ainda está sendo pouco utilizado pelo mercado. As propostas ainda são muito simples e comedidas. É preciso mais visão de marketing e uma boa dose de ousadia de propaganda.

Particularmente, nossa agência está fazendo aplicação do sistema de bluetooth para candidatura política, é um mecanismo excelente para conversar com os jovens em portas de faculdades, bares, baladas e outros eventos de porte, com grandes concentrações de pessoas. Mas não é só um processo de transmissão de dados, é também um novo formato de comunicação, gerando expectativas, interatividade e apresentando novidades para o mercado de maneira seletiva e atrativa.

Sair na frente com novas propostas, com ousadia na concepção de comunicações de vanguarda e interatividade com o público é o grande desafio dos profissionais de marketing e dos comunicadores em geral. As empresas devem ter visão para atender aos anseios desse novo mercado que se projeta pelo mundo digital.

Pensar a comunicação de ponta apenas calcado na formatação dos sites e portais de internet já é coisa do passado, é preciso olhar as diversas mídias que se apresentam e criar novas formas de interação com os públicos, estreitando os campos de relacionamento e intensificando o nível de mensagens e de credibilidade dos produtos e serviços oferecidos.

Aparelhos celulares são ferramentas pouco utilizadas pelos comunicadores brasileiros, que na maior parte das vezes esperam pelas novidades advindas dos mercados europeus, asiáticos e americanos. Entretanto, temos plenas condições de criar e propor interatividade através dos programas que já são conhecidos, com um planejamento estratégico inteligente e campanhas desafiadoras. Basta atenção para as portas que estão abertas e que precisam ser transpostas de maneira inteligente e criativa.

A comunicação digital é um caminho sem volta, com tendência a crescer absurdamente, portanto, devemos saber lidar com o desafio e criarmos novas plataformas de trabalho para surpreender positivamente o mercado.

domingo, 17 de agosto de 2008

O que se projeta nem sempre é o que se apresenta

Quantas vezes a gente tenta explicar uma determinada situação e a pessoa parece entender, no entanto, percebe-se ao longo do tempo que o entendimento não aconteceu. Isso também acontece quando estamos trabalhando a imagem de uma empresa. Muitas vezes o que projetamos não é o que é percebido.
Ao longo do tempo tenho visto muitos casos em que os executivos de uma determinada organização acreditam piamente que sua empresa é um exemplo de supremacia no mercado de atuação e, por isso mesmo, deve estar acima do bem e do mal. Entretanto, quando consultamos seus clientes, fornecedores e outros formadores de opinião, percebemos que não é lá bem assim. O que fazer em tais momentos? A primeira indicação, é trabalhar com a realidade de fato, ou melhor, com a realidade dos fatos. Não podemos tapar o sol com a peneira. É preciso encarar a situação de frente para tirarmos o melhor proveito dos desafios que se apresentam e propor soluções para tais casos.
Uma empresa que acredita fornecer os melhores produtos, mesmo quando o mercado diz o contrário, pode sofrer um perigoso revés a qualquer momento. A concorrência sempre está à espreita esperando uma oportunidade para mostrar quem é o novo rei do pedaço. Portanto, ter canais preciso para ouvir os clientes e o mercado em geral é uma forma inteligente de conduzir as melhores estratégias e tirar melhor proveito de oportunidades, corrigir problemas e demonstrar interatividade com os usuários de seus produtos e serviços.
Pessoal bem treinado para buscar informações precisas é condição sine qua non para o desenvolvimento de programas de interatividade com o mercado. São esses profissionais que estão no campo de batalha, na linha de frente e, portanto, estão mais capacitados para gerar as informações necessárias para a formatação de estratégias empresariais de sucesso.
Todas as informações coletadas devem ser avaliadas cuidadosamente e tratadas como rico material de trabalho, visto que é a ponte entre a empresa e o futuro dos negócios da organização. Os executivos devem ter mentes abertas para a auto-crítica empresarial, pois somente dessa maneira poderão encontrar as soluções desejadas pelo mercado e atingir os objetivos definidos pelo planejamento estratégico.

domingo, 20 de julho de 2008

O importante é se fazer entender

Desde os primórdios convivemos com o desafio constante de saber se comunicar com eficácia. Os primeiros homens foram descobrindo sistemas e formas de se fazer entender para dirimir dúvidas, promover a integração de grupos, unificar as ações para manter comunidades e assim por diante.
Nos tempos atuais dispomos de inúmeras ferramentas para estabelecer comunicação com nossos pares e também com aqueles que não conhecemos. A internet é o modelo mais recente ao qual ainda estamos nos moldando. Existe também uma série de ações sendo desenvolvida para equipamentos eletrônicos, tais como celulares, laptops, entre outros. Isto tudo faz do homem um ansioso não só por adquirir os equipamentos de ponta, mas também para aprender como utilizá-los. E neste mar de novidades, às vezes, nos esquecemos que tudo gira em torno daquela premissa dos primórdios: saber se comunicar com eficácia.
Empresas investem em diferentes e inúmeras ferramentas de gestão; desenvolvem diversos mecanismos de interação com os consumidores de seus produtos e serviços; os órgãos públicos e privados aplicam várias pesquisas para melhor entender às necessidades de seus clientes; e as pessoas buscam as novidades que se apresentam para se projetarem na sociedade e manter o status quo tão massificado pelos próprios mecanismos de divulgação.
É importante saber que a comunicação se fundamenta pela relação direta de uma ou mais pessoas. Quando você quer noticiar um aumento de salário não precisa de muitas ferramentas para se fazer entender. No entanto, noticiar o corte de vagas numa empresa requer mais do que simplesmente uma comunicação direta; é preciso também fazer com que as pessoas percebam o por quê daquela medida, quais seriam suas implicações se não fossem adotadas, quais problemas seriam evitados num futuro breve, qual seria o papel das pessoas que teriam seus empregos preservados, quais os planos da empresa, quais as metas a cumprir, como cada funcionário deveria contribuir para alcançar o objetivo planejado. Para tudo isso, é preciso reuniões com os líderes diretos, boletins informativos, publicações específicas, conteúdo eletrônico e uma gama de outros veículos que possam consolidar a informação em vários níveis, à exaustão. Assim, a comunicação acontece.
Portanto, quando ficar indeciso em relação ao que deve utilizar para efetivar a comunicação com seu interlocutor ou público específico, lembre-se de que o mais importante é se fazer entender. Portanto, vale de um simples comunicado até sofisticados programas eletrônicos. Tudo vai de sua necessidade, mas sem perder o básico: comunicar para se fazer entender, não para complicar.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

O que diferencia sua empresa da concorrência?

Todos os produtos são iguais? O que pesa na hora da compra? O preço é tudo? Estas e outras questões têm uma resposta: a marca. Cada vez mais empresários e especialistas do mercado têm percebido que o grande diferencial do século XXI é a marca.

As pessoas dão maior significado a produtos e serviços que tenham uma marca pré-estabelecida no mercado. É como se fosse um certificado permanente de garantia de qualidade, bons serviços e prestígio. Portanto, investir na manutenção e criação de marcas é premissa básica para a solidificação dos negócios. E não se trata apenas de marcas voltadas a simples comercialização de produtos diretamente ao consumidor. A política de comunicação também deve estar voltada à solidificação da marca institucional da organização, o que garante credibilidade sob as ações desempenhadas pela empresa.

A constituição de uma marca é composta de vários elementos de comunicação, cujo objetivo é agregar valor e dar brilho as ações realizadas pela empresa. O composto de comunicação que envolve a construção da marca vai desde a criação do logotipo até a realização de eventos, passando por comunicação interna, propaganda, branding, assessoria de imprensa, relações públicas, comunicação digital. O mais importante é ter tudo isso dentro de um plano que esteja interligado com o planejamento estratégico da empresa.

A composição de trabalhos de comunicação será vital para determinar qual será a imagem que o consumidor final e os demais públicos terão sobre a organização. É, pois, fundamental ter todas as ferramentas e ciências da comunicação integradas para dar maior força à formatação final de uma imagem singular que possa subsidiar produtos, serviços e todas as ações realizadas pela empresa.

Planejar e reavaliar o grau de interação da marca com os públicos é fator preponderante para a manutenção dos negócios. Com isso, a política de comunicação das empresas deve ter um capítulo especial para tratar do assunto com o esmero necessário. Uma marca bem cuidada é o maior ativo de uma empresa, é a garantia de suporte para bons negócios, ganhos de mercado, espírito de equipe, respeito, credibilidade e sucesso.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Você já disse bom dia hoje?


A comunicação é realmente fantástica. Pode ser motivadora. Pode ser detentora de mensagens desanimadoras para o resto do dia. Também pode fazer com que uma equipe renda acima do esperado. É responsável pela integração de um time, de uma cidade, de um país.

Os líderes responsáveis pela propagação de mensagens, notícias e diversas informações têm que saber lidar com as várias vertentes da comunicação. Têm que saber da importância de cada palavra dita, de cada parágrafo escrito e até mesmo daquilo que deixou de falar. Um líder é avaliado pelos seus liderados a cada atitude, a cada minuto.

O propósito de quem emite uma comunicação é sempre obter uma resposta favorável; motivar uma ação que corresponda a seus desejos. É preciso ter pensamento estratégico, verdadeiro e determinado. O emissor deve acreditar naquilo que deseja e comunica, caso contrário, pode ter certeza, o receptor irá notar.

Observe quando você chega ao escritório. A comunicação que emite através de suas palavras, de seu humor, de seu tom de voz será responsável pelo comportamento dos liderados, pelo bem-estar espiritual do escritório, pela boa realização de tarefas. Enfim, é o que poderá determinar um dia agradável ou não.

Os líderes são responsáveis pela carga comportamental que impera no ambiente de trabalho. É através de atitudes simples que o funcionário irá comentar mais tarde em sua casa, no bar com os amigos, em outros ambientes, como é a verdadeira cultura da empresa que trabalha. Tal repercussão pode ser levada a clientes, imprensa, formadores de opinião, fornecedores, entre outros públicos. Isso tudo tem um preço, que pode ser muito alto.

Tenha consciência e responsabilidade sobre aquilo que comunica. Seja claro, preciso e harmonioso. Não busque resolver problemas com outros problemas, pois de um líder se espera soluções. E ao começar o seu dia, não esqueça, todo resultado almejado pode ser comprometido por apenas um início: bom dia!

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Namoro sem conteúdo não dá!

Navegar pelos sites da internet é como um namoro, se não há conteúdo, não deve durar por muito tempo. É fácil perceber nas pesquisas de navegação que os internautas procuram acessar aqueles sites com os melhores conteúdos de informação e interação, com novidades, visualmente dinâmico e que ofereça uma linguagem interativa com a necessidade do leitor. Por isso, cada vez mais é preciso cuidar com afinco do conteúdo da internet, buscando valorizar cada informação, cada espaço destinado a interagir com os visitantes, para que ele não seja somente um freqüentador assíduo, mas também um propagador para outros visitantes.

Cada vez mais a internet tem ocupado espaço nas relações de comunicação com o mercado, na venda de produtos, divulgação de serviços, fortalecimento de marcas e apoio institucional. Dados do mercado nacional apontam que as empresas investiram R$ 526,6 milhões em publicidade na internet, nos três primeiros meses deste ano. Isto representa um crescimento de 45,8% em relação ao ano anterior, no mesmo período.

Portanto, planejar o conteúdo disponibilizado e acertar na linguagem para melhor interação deve ser a preocupação básica daqueles que administram a comunicação corporativa. Pois, os resultados e as informações coletadas a cada “clic” fundamentam o planejamento de comunicação e fortalecem o apoio ao planejamento estratégico da organização.

Com isso, concluímos que a beleza de um site é importante, mas o conteúdo é fundamental!

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Assessoria de imprensa fortalece a empresa

O trabalho de assessoria de imprensa, sem dúvida, fortalece a imagem institucional da empresa, agrega valor de comunicação à marca, produtos e serviços e, acima de tudo, estabelece um canal de comunicação mais fácil e verdadeiro junto à sociedade em geral, por meio dos órgãos de comunicação.

O detalhe fica sempre por conta da realização de um trabalho profissional, dentro do paradigma não só da empresa, mas, principalmente, da imprensa. Assim, muitas vezes é preciso refutar temas que são de relevância interna para as organizações em detrimento do que realmente é notícia. Afinal, como conta a máxima do jornalismo acadêmico, um cachorro mordendo uma pessoa é fato comum; já uma pessoa mordendo um cachorro é notícia!

Dentro desse panorama o assessor de imprensa deve estar atento a separar o joio do trigo e dar nomes e disposição correta ao que deve ser trabalhado dentro do perfil de cada mídia, observando as necessidades de cada órgão para aperfeiçoar o relacionamento com a empresa e facilitar o trabalho da imprensa.

É preciso também saber dimensionar a qualidade de informação que é comunicada pela mídia. Muitas vezes a quantidade é supervalorizada, no entanto, essa quantidade deve ser avaliada sob o prisma da positividade com que traz as mensagens e a repercussão junto ao público em geral.

Outro fato importante é mencionar que a assessoria de imprensa não deve ser necessariamente utilizada somente em situações negativas, ou como se diz no jargão: quando o portão já foi derrubado. A boa comunicação e o bom relacionamento com a imprensa devem ser permanentes, para quando houver uma situação divergente com o ponto de vista da sociedade, então haja um histórico de informação para abalizamento na hora de se compor uma matéria. Afinal, para aquela empresa que nunca fez questão de se comunicar fica difícil ter qualquer grau de credibilidade em uma situação adversa.

Cuidar da comunicação em todas as estâncias da empresa, seja ela internamente, ou externamente, só contribui para um padrão de excelência empresarial e para o desenvolvimento de nossas instituições, assim como da própria sociedade.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

A grande virada

Para aqueles que desejam fazer uma revolução no sistema de comunicação de sua empresa, um conselho: identifique qual é o verdadeiro retrato de sua organização antes de dizer que ela é alta, de olhos verdes, simpática e bem humorada. É importante perceber com clareza, qual é a verdadeira identidade da empresa e como ela é percebida por seus idealizadores (grupo funcional) e públicos (clientes, fornecedores, comunidade, imprensa, sindicato, entre outros).

Para quem recorre à propaganda e publicidade para maquiar a imagem da empresa é bom refletir. Uma boa campanha publicitária pode ser comparada a um encontro marcado pela internet: um bom texto, uma imaginação criativa e a perspicácia comportamental podem ser a garantia de um encontro, mas nunca a continuidade de um relacionamento.

Entrar numa guerra sem saber se os soldados aliados estão preparados e motivados para ganhar é, no mínimo, temeroso. Portanto, a pesquisa minuciosa de comunicação interna e externa é um pré-requisito básico para se estabelecer um plano de comunicação que esteja em sintonia com o planejamento estratégico da empresa e com o interesse de todos, buscando ferramentas catalisadoras da motivação em prol de resultados satisfatórios para todos.

O que for apurado através dessa verdadeira “radiografia empresarial” pode ser um sinalizador importante para definir a estratégia de atuação da organização no campo da comunicação (interna e externamente), melhorando a aplicação de recursos, obtendo mais resultados e gerando melhor pré-disposição para com a empresa e suas ações.

A marca da empresa e seus produtos agradecem.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

A comunicação ajuda a fazer negócios?

Não só ajuda como é essencial à manutenção da imagem da empresa, de marcas e de produtos.

A confiabilidade na relação de negócios com os clientes é potencializada ou dizimada de acordo com a política de comunicação adotada por cada organização. Portanto, ter um programa de comunicação adequado para suplantar o planejamento estratégico das empresas é fator crucial para o sucesso de suas ações.

Como maximizar a qualidade de produtos e serviços sem ter pessoas preparadas, motivadas e integradas aos objetivos da empresa? Para que isso ocorra é preciso que as ações de comunicação sejam planejadas e tecnicamente adequadas para cada situação. Os veículos de comunicação têm que ser estudados e preparados adequadamente para levar mensagens, educar, motivar, informar, levar conhecimentos e promover a reflexão, enfim, comunicar. Com isso, as pessoas estarão mais preparadas para participar e apresentar os resultados esperados.

Décadas atrás existia um pensamento independente de cada departamento sobre sua importância dentro do contexto empresarial. Hoje, sabe-se que todos têm igual importância e significado perante os resultados finais das empresas. Isso quer dizer que a produção, a administração e o comercial, aqui representando todos, têm peso equivalente na balança organizacional, pois suas ações podem determinar o sucesso ou fracasso de cada empresa.

O papel da comunicação é justamente costurar os relacionamentos, ampliar conhecimentos, agregar valor às informações, simplificar e elucidar metas e objetivos, potencializar a auto-estima de cada um, gerar resultados. Afinal, se as pessoas são as maiores responsáveis pelo sucesso ou fracasso das organizações, então, a comunicação é o catalisador dos mecanismos psíquicos que impulsionam os seres à eficácia de suas ações.

terça-feira, 20 de maio de 2008

O poder da comunicação integrada

O que a propaganda, assessoria de imprensa, relações públicas, branding, marketing e comunicação interna têm em comum? O principal: a essência. Por isso, a integração entre todas as linhas de comunicação de uma empresa é essencial para o sucesso da imagem institucional da organização, relacionamento com os diversos públicos, prospecção de negócios, valorização da marca e, principalmente, pré-disposição de todos para com a empresa praticante da boa comunicação.

A comunicação integrada é a regência de todas as ferramentas, com o propósito de estabelecer uma linguagem unificada e maximizada. Assim, é possível ter um programa coerente com os interesses da organização e obter resultados satisfatórios, baseado num planejamento integrado aos objetivos da empresa.

Bem, posto à mesa, o que fazer para integrar a comunicação de maneira que os resultados possam ser apurados e, o mais importante, serem positivos? Algumas das medidas a serem adotadas passam pela pesquisa de comunicação interna e externa, montagem do “time de comunicação”, estabelecer um plano de comunicação (interno e externo) que sustente as ações da empresa em função de seus objetivos, criar ferramentas de avaliação e métodos de correção de desvios e aproveitamento de novas oportunidades.

Depois de adotadas todas as práticas e atitudes necessárias para a integração do composto de comunicação, então é preciso dimensionar os espaços de atuação e o budget anual, os quais são imprescindíveis para o sucesso do projeto.

O que é sempre bom lembrar e ter em evidência é que a comunicação empresarial é feita de pessoas, para pessoas. Portanto, conhecer o comportamento humano, os aspectos sociais e as melhores técnicas de comunicação são fatores essenciais para interagir, integrar e estabelecer a forma correta de comunicação da empresa com o mercado, comunidade, funcionários, sindicatos, imprensa, órgãos públicos etc.

terça-feira, 13 de maio de 2008

A comunicação e a boa gestão

Se a empresa é formada essencialmente por pessoas, então a comunicação é o princípio básico e primordial para se obter resultados e sucesso. É difícil perceber como uma empresa poderia passar para a sua equipe os planos estratégicos e operacionais de uma organização sem ter eficazes canais de comunicação. As pessoas precisam entender a importância do que está planejado, como são fundamentais para a obtenção de resultados e, principalmente, serem motivados para se alcançar objetivos.

As empresas se mostram cada vez mais perceptivas à importância de manter seus funcionários alinhados ao pensamento estratégico da organização. Os processos de comunicação são fundamentais para o gerenciamento de ações coordenadas que resultem no cumprimento de metas e objetivos.

É importante salientar que cada empresa tem sua própria realidade. Portanto, a fórmula da melhor comunicação pode variar. É preciso estar atento às necessidades de comunicação das equipes para utilizar o veículo e a forma correta de comunicação. Assim, a empresa estará empregando os mecanismos necessários, investindo corretamente e obtendo os resultados planejados. Sem contar que terá uma equipe mais integrada, motivada e preparada para responder aos desafios.

A construção de um plano de comunicação é essencial para dar “nome aos bois” e colocar o “trem no trilho certo”. As pessoas devem entender que a comunicação é papel fundamental para o sucesso e, portanto, responsabilidade de todos os departamentos, de todos os profissionais. O papel do líder é deflagrar esse pensamento por toda a organização e apoiar as ações necessárias para transformar o plano em realizações.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Construção de marcas

O planejamento de construção de marcas passa por um verdadeiro preâmbulo de comunicação. As diversas técnicas e artes da comunicação devem ser disponibilizadas para dar corpo ao planejamento, intensificando o número de respostas dos diversos públicos às ações realizadas pela empresa.

É essencial iniciar o processo de construção de marcas por meio de campanhas institucionais, reforçando os valores da marca e da empresa em si. Depois desse trabalho realizado, a empresa pode começar a divulgar seus produtos, tendo como garantia uma plataforma de relacionamento com os públicos, já estabelecida anteriormente.

A escolha dos veículos de comunicação também é um passo importante para a conquista de mercado e valorização da imagem que pretende se estabelecer. Por isso, nem sempre um maior gasto com mídia é sinal de bons resultados. É preciso conhecer e estabelecer uma comunicação que esteja dentro da realidade e dos momentos mais oportunos do público alvo. Uma pessoa que atue no setor agropecuário, numa fazenda do interior de Goiás, talvez não fique sensibilizada por uma comunicação de caráter megalópole. É preciso ter a correta leitura da melhor maneira de se comunicar com públicos específicos, obtendo assim, um relacionamento mais interativo e propício para ambas às partes.

Uma das principais coisas que temos a relevar no planejamento de comunicação é a cultura local e até mesmo individual de quem estaremos nos relacionando. Respeitar a individualidade, a crença e a forma de pensar dessas pessoas pode ser o grande passo para a conquista de uma comunicação verdadeira e benéfica para ambos.

A construção de marcas passa por todos esses valores. E tendo esses princípios como bússola é sempre mais fácil construir um plano de comunicação com garantia de resultados, com conquista de públicos, com marcas de sucesso.


domingo, 4 de maio de 2008

A comunicação e o Carnaval

Quando tive a oportunidade de fazer assessoria de imprensa para a Escola de Samba Nenê de Vila Matilde, percebi que existem muitas semelhanças entre uma escola de samba e uma empresa. Desde a estrutura organizacional, o planejamento estratégico, os departamentos, a operacionalização das tarefas, a importância de cada membro para o sucesso de todos e, principalmente, como a comunicação é importante para a obtenção de resultados e o sucesso.

O sonho que nasce na cabeça de um carnavalesco consegue ser compartilhado e repassado para todos os elementos da escola através do presidente da entidade, dos diretores de cada setor, dos compositores através do samba enredo, enfim, através de diversos canais de comunicação que levam ao entendimento geral, propagam um objetivo comum e motivam os integrantes a lutarem por algo comum e que por mais difícil que seja, sempre há motivação para alcançá-lo.

Para fazer com que todos entendam como cada um tem papel fundamental para que a escola faça um grande desfile, pois vencer é uma conseqüência, é preciso haver unidade. O passista precisa saber que ele faz parte de algo maior e que seu trabalho compromete o resultado de um grupo, de uma escola, de uma comunidade. Dentro desse princípio, todos ficam comprometidos com o objetivo da escola e mutuamente se motivam durante todo o ano, até a chegada do dia “D”, o desfile.

Fica aqui mais uma lição empresarial. É preciso entender as pessoas, trabalhar as comunicações dentro de sua realidade e ter o feeling para traduzir conceitos complexos para a realidade comum, tal qual faz um carnavalesco, que com talento e comunicação faz com que todos compreendam e executem ações que, às vezes, estão muito além da imaginação.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

A força da comunicação interna

Cada vez mais as empresas funcionam como grandes times de futebol. Quando existe uma deficiência na defesa, no meio de campo ou no ataque então todo o time “paga o pato”.

A integração entre todos os setores é fator fundamental para a conquista de grandes resultados e mais do que isso, para atingir um objetivo. Um departamento que não entende o planejamento de sua empresa, de como sua atuação é fundamental para o sucesso da organização, ou mesmo como sua contribuição gera resultado, torna-se uma figura apática e um peso morto para toda a equipe.

É muito importante que todos dentro dos grupos sintam-se como essenciais para o desenvolvimento da equipe e para as conquistas. Não existe time campeão sem uma equipe integrada, preparada e motivada para vencer desafios. Já presenciamos equipes formadas por grandes personalidades, grandes craques, mas sem o fator integração, tornam-se apenas equipes sem brilho frente às muitas que existem em todo o planeta. A diferença sempre está nos detalhes.

A questão da comunicação é tão importante para o sucesso de qualquer atividade, que o próprio esporte ensina, quando não há integração entre todos os participantes, não há vontade de vencer desafios, não há conquistas e sobram prejuízos para todos. Quando tudo é planejado, todos estão de acordo e prontos para superar as próprias limitações, então temos um time coeso, motivado e com um potencial de vitória superior à maioria.

Portanto, a comunicação interna é fator estratégico para o sucesso de times e organizações, porque amplia o leque de oportunidades de participação para todos, divide responsabilidades pelos resultados, motiva grupos em torno de idéias e objetivos e contribui decisivamente para a geração de resultados.

É importante sabermos que a responsabilidade de uma comunicação fluente e contundente dentro de qualquer grupo não é apenas responsabilidade de seus gestores ou mesmo de setores específicos, mas de todos que estão dentro desses grupos, afinal é algo que deve ser percebido e praticado diariamente, apenas a condução e forma de praticá-la deve ter um pontapé inicial dado por suas lideranças.

Por que devemos melhorar o marketing de serviços?

Todos nascem com algum tipo de habilidade que nos faz diferentes uns dos outros. Mesmo quando parecemos todos iguais, ainda assim somos d...